História do Egito

História do Egito

Com mais de cinco mil anos, a história do Egito é a mais longa e documentada do mundo. Conheça os momentos que marcaram esta civilização.

Os primeiros habitantes do Egito estabeleceram-se às margens do Nilo fugindo do deserto. Esses primeiros indígenas, isolados e sem inimigos próximos, eram governados por seres “divinos” que foram seguidos por dinastias semi-heroicas: “os descendentes de Hórus”.

Esses habitantes organizaram-se em províncias (chamadas Nomos) e, com sua unificação, surgiram dois reinos: o Alto e o Baixo Egito.

Os dois reinos: o Alto e o Baixo Egito

O Baixo Egito (ao norte) era formado por 20 províncias e suas cidades mais importantes eram Buto e Saís. Tinha um faraó próprio, seus reis levavam uma coroa vermelha e comprida e sua divindade era a cobra.

História do Egito: coroas do Alto e Baixo Egito
Diferentes coroas do Egito

O Alto Egito, com 22 províncias, tinha Hieracômpolis e Tebas como cidades principais. Também tinha um faraó próprio, a coroa de seus reis era branca e sua deusa tinha a forma de um abutre.

Em torno do ano 3100 a. C., o rei Menés, do Alto Egito, invadiu o Baixo Egito e unificou os dois reinos. Menés converteu-se no primeiro soberano da I dinastia e foi qualificado como “unificador de ambos os países”. Com ele, inicia-se o período histórico e a primeira das trinta dinastias que governariam o Egito até sua conquista pelo rei persa Artaxerxes.

A história das dinastias egípcias dividiu-se em três grandes períodos bastante conhecidos: Império Antigo, Império Médio e Império Novo.

Etapas na história do Egito

Dinastias do Egito

Na história do Egito, estabeleceram-se 30 dinastias, que vão do ano 3100 a.C. até 332 a.C. Podem-se classificar em diferentes períodos.

Período Greco-romano

O final do império egípcio é marcado pela invasão persa no ano 525 a.C. Posteriormente, Alexandre Magno chegou pelo Mediterrâneo, conquistando o território.

A partir do século VII

Após a queda do Império Romano, o Egito passou a depender do Império Bizantino até a chega do Islã, em 641.